GameVicio Entretenimento: GameVicio | FlashVicio | Hhide.ME | ClubVicio | Fórum | Flow | MovieVicio

Review de Caesar IV para PC de Outer Space

por Giordano Trabach, fonte Outer Space, data  editar remover


Depois de alguns anos de jejum, finalmente chega a seqüência de Caesar III, lançado em 1998. A série começou em 1993, mas de 1999-2004 se concentrou apenas na simulação de cidades do antigo Egito. Para a alegria geral dos fãs, a gloria do império Romano retorna ao foco dos simuladores de cidade de forma triunfal.

Se em 1993 a principal concorrência de Caesar era Sim City 2000, agora a preocupação principal é o novo CivCity: Rome, que além de compartilhar o mesmo gênero e tema, faz uso de diversos elementos de jogabilidade que são clássicos de Caesar, como a evolução das moradias e as necessidades de empregos e moradias dos habitantes das cidades.

Roma, 8 anos depois...


Quem está vindo direto de Caesar III inicialmente se surpreenderá com os novos gráficos de Caesar IV, bem superiores aos de 8 anos atrás. Porem, um olhar mais aprofundado neste quesito, assim como uma comparação rigorosa com jogos atuais do mesmo gênero, leva à conclusão que o avanço não foi tão grande quanto poderia ser. Apesar de o jogo estar em três dimensões, com um belo design e alguns efeitos visuais interessantes, faltou um capricho nas animações. Mesmo as maiores metrópoles parecem um pouco vazias, com apenas alguns habitantes andando de um canto ao outro do mapa.

?? fato que jogos de simulação de cidades não exigem visuais muito elaborados, afinal, a grande diversão desse estilo é gerenciar a economia e o bem-estar dos habitantes, e os fãs desse estilo usualmente não se importam tanto com gráficos que pedem altos requerimentos mínimos de sistema. Mas infelizmente, Caesar IV é um jogo pesado. Ao contrario do que os gráficos simples deixam a entender, o título exige configurações respeitáveis para funcionar, e mesmo em computadores bem atuais, é possível que o jogador não consiga deixar todas as opções visuais no máximo e rodá-lo com tranqüilidade. Se o jogo fosse algo magnífico, de encher os olhos, os pesados requerimentos de sistema não seriam um defeito, apenas uma restrição, mas como o visual deixa um pouco a desejar, fica difícil entender o porquê de Caesar IV exigir tanta performance.

Somando à lista de defeitos técnicos, o tempo para carregar os mapas são excessivamente longos. Carregar jogos não é algo que acontece constantemente nesse gênero, mas a longa duração do loading é algo que pode testar a paciência dos jogadores.

Plebeus, ??qüites e Patrícios


Se os quesitos técnicos de Caesar IV deixam a desejar, a jogabilidade, o que realmente importa para os fãs, felizmente só avançou. O estilo continua o mesmo: o jogador começa construindo moradias para os habitantes da cidade, e depois deve implementar outras edificações para cumprir com as exigências dos moradores, assim como garantir a manutenção da cidade e gerenciar a economia. Pode parecer simples, mas transformar um pedaço de terra desabitado em uma próspera cidade Romana é um desafio imenso, mas algo igualmente recompensador.

Para facilitar um pouco a vida, Caesar IV conta com alguns elementos bem interessantes. Quando o jogador for posicionar uma escola, por exemplo, é possível verificar a área de abrangência das outras já existentes, evitando que se desperdice uma construção em uma área já beneficiada por outra igual, e também facilitando a identificação de locais onde determinada necessidade falte. Além disso, o jogador conta com uma grande quantidade de assessores virtuais, que nem sempre ajudam, mas dão boas dicas de vez enquanto. Também existem diversas outras facilidades presentes no jogo, mas demora certo tempo até que se domine a enigmática interface de Caesar, e ainda que os veteranos se sintam mais a vontade com a mesma, um pouco de estudo no manual de instruções não faz mal algum.

Uma novidade muito bem vinda em Caesar IV é o sistema de moradia por classes. Anteriormente, só existia um tipo de moradia, e esta ia evoluindo desde a classe mais baixa até a mais elevada. As moradias continuam evoluindo conforme o jogador as abastece com mais recursos, mas agora existem três categorias de moradia: os Plebeus (mais pobres), os ??qüites (classes médias) e os Patrícios (classe alta). A mudança é historicamente mais condizente com a realidade, afinal ascensão social de plebeu até patrício não era algo comum no Império Romano. Enquanto os plebeus provem a cidade com os trabalhos manuais mais básicos, os ??qüites trabalham com serviços um pouco mais ???intelectuais???. Já os Patrícios não trabalham, mas abastecem a cidade com muitos impostos, e necessitam de uma certa infra-estrutura para se estabelecer. Como já foi dito, as moradias continuam evoluindo, mas a casa de um plebeu sempre será de um plebeu, por mais rico que ele seja.

O Veredicto:
Caesar IV cumpre com as expectativas de quem esperava uma seqüência para o aclamado simulador de cidades, mas não sem algumas falhas. Os requisitos de sistema são bem pesados para gráficos que não chegam a agradar tanto, e os tempos de carregamento bem demorados são um teste à paciência. A interface não é muito amigável para iniciantes, mas os veteranos da série se sentirão satisfeitos com os vários recursos presentes do jogo. No mais, é apenas um upgrade de Caesar III, um jogo de 8 anos atrás.

Prós:

- Caesar de volta, antes tarde do que nunca;
- Sistemas de simulação bem elaborados;
- Novo sistema de moradias por classe social.


Contras:

- Gráficos fracos, requerimentos pesados;
- Pouca evolução em muito tempo;
- Loading bem longo.


Nenhum comentário

comments powered by Disqus
Outer Space
6/ 10
Média da crítica
Média dos usuários
Sua nota

Sobre o colaborador

avatar de Giordano Trabach

Reviews da crítica

©2016 GameVicio