GameVicio Entretenimento: GameVicio | FlashVicio | Hhide.ME | ClubVicio | Fórum | Flow | MovieVicio

Review de Caesar IV para PC de GamesBrasil

por GameVicio, fonte GamesBrasil, data  editar remover


Introdução

Caesar é uma daquelas series de jogos que se tornaram tão populares que atravessaram gerações e ainda continuam atraindo muitos jogadores. Relembre conosco: o primeiro Caesar saiu em 1993; o segundo, dois anos depois, em 1995; três anos se passaram (1998) para o que o Caesar III fosse lançado; e, agora, 8 anos depois (sendo 2 anos de desenvolvimento) chega às prateleiras Caesar IV! Ao todo, são 13 anos! Aqueles que na sua adolescência puderam jogar os primeiros títulos, provavelmente já estão formados ou até mesmo casados!

A missão de Caesar IV não é tão fácil, pois terá de agradar os antigos fãs e arrebanhar novos jogadores, num mercado de jogos tão disputados no mesmo gênero. ?? claro que o jogo sofreu mudanças, especialmente na parte gráfica, que foi completamente renovada em 3D para resultar em gráficos mais realistas e efeitos climáticos nos cenários.

No mais, Caesar continua seguindo a mesma linha. Sua missão é iniciar uma cidade no Império Romano a partir do zero, para desenvolvê-la pacientemente, passando por todos os detalhes e etapas para se chegar a uma grande metrópole. Prepare-se para construir prédios, ruas, templos, edifícios de entretenimento além das decisões políticas e especialmente econômicas (que neste game tem um peso considerável). Preparado para adentrar no Império e tornar-se o próximo imperador? "Ave Caesar!"
Jogabilidade:

Na maior parte dos jogos que simulam cidades, o objetivo do jogador é ser capaz de construir uma cidade dinâmica e auto-sustentável em todos os sentidos. A futura metrópole deverá possuir um sistema que leve água aos moradores, comida em quantidade e qualidade, segurança contra roubos, vandalismo e incêndios, boas e variadas moradias para as diferentes classes sociais, saúde, entretenimento e assim por diante. Como você pode notar, a tarefa não é simples ou fácil e exigirá muito gerenciamento, haja visto o vasto conteúdo que o game disponibiliza. Existem, por exemplo, 100 edifícios diferentes para serem construídos, além da decoração das cidades e outros itens. E cada um deles influencia de alguma forma na jogabilidade. O acesso principal a eles (e outros comandos do jogo) se dá pelo menu à direita da tela e seus botões quase sempre resultam em mais opções. O jogador pode até se sentir perdido de início, mas a interface sempre dá uma dica do que deve ser construído em seguida.

Com muito conteúdo, é de se esperar que Caesar IV seja um RTS complexo suficiente para deixar qualquer fã do gênero babando, especialmente aqueles que gostam de micro-gerenciamento - tirando aqui a necessidade de mais opções gerenciáveis para controlar as exportações e importações. Deve-se ter bom senso e percepção nas mais simples decisões, como, por exemplo, procurar construir casas longe de lugares barulhentos e desvalorizados por outros problemas. Porém, isso ainda é só um detalhe daquilo que o jogo nos apresenta. A parte mais complexa mesmo é fazer com que a cidade tenha equilíbrio econômico e produtivo. Enquanto outros simuladores de cidade baseiam-se especialmente na influencia de um edifício, Caesar IV coloca grande peso na economia e nos cidadãos. O resultado desta ênfase é que o jogador terá de alterar constantemente muitos detalhes para que os objetivos sejam alcançados, sobretudo quando um benefício ou bem é requerido tanto pela cidade como para exportação, necessitando assim ser estocado. Ainda neste exemplo, é muito comum o Império exigir um produto, que necessitará ser produzido com maior ênfase e posteriormente estocado para que seus moradores não frustrem seus planos. Parece simples de falar, mas, no jogo, tanto a produção como o estoque vão exigir construções específicas e uma dose cavalar de gerenciamento. Para quem gosta desse tipo de coisa, o jogo é um prato cheio. Já para os impacientes, o jogo se tornará burocrático.

As missões se configuram por meio de objetivos a serem alcançados. Eles são apresentados no início de cada fase e há uma variedade deles. Podem ser desde aumentar a população, investir na cultura, na educação, entre outros, que logicamente não podem ser cumpridos por si mesmos, mas exigem uma série de requisitos preliminares. Afinal, uma cidade só cresce se tem casas. E as casas só serão habitadas se houver infra-estrutura, emprego, alimentação etc. Dessa forma, colocando o objetivo principal, o que se espera é que o jogador desenvolva a cidade até chegar no nível requerido. Os mapas s que são apresentados no início de cada fase indicam e comprovam que cada cidade demanda uma ou mais horas para ser desenvolvida em todo o seu potencial. Considerando as três campanhas, mais o modo cenário, multiplayer e editor de mapas, encontramos em Caesar IV a garantia de diversão por semanas.

Como já adiantamos na introdução, Caesar IV dá muita ênfase na economia e nos cidadãos. A primeira é suficientemente complexa como se esperava. As rotas comerciais são importantes e devem ser desenvolvidas assim que o jogador tiver oportunidade. São por elas que o dinheiro "grosso" chega até a cidade. Outro aspecto não menos importante são os moradores da cidade. O jogador deverá considerar as classes sociais específicas: Plebeus, ??qüites e Patrícios - respectivamente os pobres, a classe média e os ricos. Os primeiros representam a força bruta da cidade, pois trabalham em todas as funções relacionadas a recursos das atividades agrícolas e industriais. Eles não pagam impostos e suas necessidades básicas são modestas. Já os ??qüites (Cavaleiros) ocupam os serviços públicos da cidade nas instituições de saúde, educação, entretenimento, religião, arrecadam impostos e podem tornar-se magistrados. Eles necessitam de uma infra-estrutura melhor, que proporcione alimentos mais variados e de melhor qualidade, incluindo também artigos de luxo. Também não pagam impostos e têm os seus salários financiados pelo estado. Os Patrícios estão no topo da pirâmide social e por isso exigem muito conforto e luxo. Não trabalham, porém são donos de grandes imóveis, o que garante um bom rendimento de impostos! Durante todo o game, o jogador deverá sempre atrair e manter essas classes na cidade, já que elas são de imensa importância na jogabilidade e no equilíbrio da urbe.

Além de dominar o gerenciamento, para se ter sucesso em Caesar IV é necessário saber interpretar as centenas de informações que o jogo dá a todo o momento. Os Conselheiros da Cidade foram criados para dar essa ajuda. Na tela específica, o Conselheiro Chefe apresenta um resumo global das carências e urgências de cada área. Os outros conselheiros são capazes de detalhar os problemas e dados críticos, destacando sempre os que necessitam ser resolvidos com urgência. São ao todo 12 conselheiros: conselheiro do trabalho, das finanças, imperial, dos índices, dos recursos, da população, das regiões, da saúde, da religião, da educação e do entretenimento - nenhuma informação em Casear IV fica escondida do jogador! Pena que em alguns momentos existam algumas informações contraditórias nas estatísticas que acabam confundindo o jogador, o que deve ser relacionado com algum bug.

Em todos estes aspectos, podemos dizer que Caesar IV cumpre bem seus objetivos como um RTS deveria ser. Mas é notório que derrapa em outros pontos na sua jogabilidade, gerando o famoso "efeito dominó" (um defeito leva a outro). A interface, por exemplo, é irritantemente intrusiva. Quando clicamos em algo que precisa ser gerenciado, sub-menus são abertos e nem sempre se fecham quando selecionamos aquilo que queremos. Isso leva a outro problema: há poucas teclas de atalho, o que faz o mouse ser usado em excesso. E, como não se bastasse, o mouse por sua vez é impreciso e confuso em alguns momentos, especialmente na construção dos muros da cidade e em certos cliques que são simplesmente ignorados ou perdidos. No caso dos muros, há muitas limitações impostas pelo próprio cenário, obrigando o jogador a reconstruir constantemente aquilo que já estava acertado. A coisa toda se complica quando a cidade tem pouco espaço e o movimento de uma construção resultar na re-alocação de várias outras. Haja paciência!

Outro fator negativo é que a estratégia existente nos combates dos exércitos é simplista se comparada ao jogo como um todo. Em poucas palavras: ataca-se ou defende-se do inimigo; quem estiver em maior número provavelmente vencerá. Falta aos desenvolvedores perceberem que simuladores de cidades não são simuladores de combates. Quando se simula uma cidade, o que se procura é fazer crescer a economia, criar infra-estrutura e assim por diante. Se o jogador procura tática de combate, existe um outro jogo que acerta em cheio porque exatamente se foca no tema, que é o Rome: Total War. Não que seja proibitivo e impossível juntar as duas coisas no mesmo game - todavia da maneira como fizeram resultou em algo completamente dispensável.

Áudio

Jogos de RTS no geral duram horas em um mesmo cenário. Devem, por isso, trazer um bom número de músicas para que o jogador não enjoe. Caesar IV cumpre sua tarefa de casa nesse aspecto e apresenta não só uma quantidade boa de músicas, mas com qualidade e personalidade. A trilha sonora é de muito bom gosto e é responsável pelo clima épico no game que permeia todo o jogo.

Os demais efeitos não ficam devendo em nada, são muito detalhados, com destaque para a dublagem. Não apenas os conselheiros foram dublados em algumas falas como há 75 diferentes personagens (moradores) únicos na cidade que expressam opiniões bem pessoais a respeito do que eles sentem por morar ali.

O restante do som do game é moderado e muito bem feito, sem vozes de conselheiros irritantes (iguais ao CivCity Rome).

Multiplayer

Dois modos de jogo são possíveis em Caesar IV. O primeiro é o "Desafio do César", que apresenta uma lista de cenários da temporada atual com o objetivo fundamental de tornar-se um governador vencedor em um cenário. Ao terminar um cenário, os dados são vinculados a um ranking online e os resultados são comparados com outros jogadores. O segundo modo de jogo é o "Império", que como o próprio nome sugere o objetivo é construir um império por meio de várias províncias. O jogador deverá desenvolve-las ao seu máximo potencial e postar quantas puder online para tentar ser o líder quando comparado aos outros jogadores.

Perceba que a ênfase do multiplayer é o ranking online que proporciona um confronto indireto entre os jogadores. A princípio, isto não parece ser muito interessante, alguns poderão até dizer que é um "multiplayer maquiado". Todavia, o sistema online pode motivar pela possibilidade do jogador ter o seu nome entre os 10 melhores do mundo. Por outro lado, aqueles que esperavam de alguma forma um confronto mais direto de jogadores se divertindo ao mesmo tempo numa situação de confronto, não encontrarão em Caesar IV essa possibilidade.

Gráficos

Caesar IV é o responsável por inaugurar na série os gráficos 3D - diga-se de passagem, um requisito mínimo para qualquer RTS atualmente. A primeira impressão que temos é que os desenvolvedores capricharam na transição. Quando vistos a distancia (apesar de não resistir ao zoom muito próximo), os cenários apresentam uma vista de encher os olhos. Efeitos como reflexos na água, sombras, além da ambientação que permite dia e noite, fazem de Caesar IV um ótima evolução na série em aspectos gráficos, que supera em alguns aspectos os concorrentes. Apesar disso, houve exagero no uso do contraste do HDR que ficou super-exposto. Também há outros contratempos, tais como baixa taxa de quadros por segundo, longos períodos de carregamento e diversos slowdowns que, por sua vez, fazem com que o jogo atrase os comandos feitos pelo jogador, obrigando-o a clicar repetidas vezes na mesma ação.

A câmera se movimenta com bastante liberdade e permite que o jogador veja tudo o que quer satisfatoriamente. Mas basta aplicar o zoom para vermos animações que deixam a desejar e cidadãos que parecem bonecos. Não há interação entre as animações das pessoas que trabalham com os outros moradores nas ruas. São duas coisas independentes e desconexas. Isso talvez não pareça tão importante, mas depois que CivCity Rome nos apresentou um sistema no qual você clicava num cidadão e via ele trabalhando, descansando, comprando comida etc - era de se esperar algo pelo menos similar.

Conclusão

Em termos de comparação, podemos tranquilamente dizer que Caesar IV se mostra um RTS com simulação de cidades bem mais amadurecido e polido que a concorrência em quase todos os aspectos. Para os fãs da série, a espera certamente acabou sendo compensadora! Para os que ainda não conheciam o jogo, é uma ótima porta de entrada para o mundo de Caesar, graças a um jogo sólido, imersivo, complexo e repleto de micro-gerenciamento, resultando em diversão por semanas!

?? claro que Caesar IV poderia ter ido mais longe, poderia ter se tornado um clássico, mas algumas falhas e limitações lhe tiraram este título, além de algumas inconsistências gráficas. E os vilões são de peso: interface intrusiva, mouse impreciso, sistema de combates simplista, jogo pesado entre outros bugs...

Não podemos ainda deixar de dizer que apesar de algumas mudanças em relação à série, Caesar IV poderá frustrar os jogadores veteranos que buscavam uma mudança radical nos conceitos e na jogabilidade, pois o que constatamos foi o contrário, o que dará maior gosto aos conservadores que irão gostar muito deste quase upgrade.

Prós
  1. Grande retorno da série Caesar com gráficos 3D;
  2. Sistema de classes sociais é equilibrado e deixa a jogabilidade mais rica em vários aspectos;
  3. Mantém as principais características, sendo quase um upgrade dos anteriores;
  4. ??timo manual, com direito a glossário traduzido para português;
  5. Intenso grau de gerenciamento;
  6. ??tima longevidade;
  7. Complexo e inteligente.


Contras
  1. Animações desconexas dos moradores;
  2. Burocrático para quem não gosta de micro-gerenciamento;
  3. Quem esperava muitas mudanças e inovações pode se decepcionar;
  4. Mouse impreciso em alguns momentos;
  5. Construção das muralhas exige paciência e determinação;
  6. Sistema de combate é simplista e por isso desnecessário;
  7. Longo tempo para carregar, baixo frame rate e slowdowns;
  8. Interface intrusiva.



Nenhum comentário

comments powered by Disqus
GamesBrasil
7.6/ 10
Média da crítica
Média dos usuários
Sua nota

Sobre o colaborador

avatar de GameVicio

Reviews da crítica

©2016 GameVicio