GameVicio Entretenimento: GameVicio | FlashVicio | Hhide.ME | ClubVicio | Fórum | Flow | MovieVicio

Review de Warhammer Online: Age of Reckoning para PC de Eurogamer

por GameVicio, fonte Eurogamer, data  editar remover


Warhammer é um nome de peso para muitos de nós, se inicialmente foi, e ainda o é, um jogo de tabuleiro, nos dias que correm é bem mais conhecido como um videojogo. Desde a sua primeira aparição pelo mundo virtual que Warhammer vem conquistando, por mérito próprio, o seu espaço.

Neste nova incursão pelo mundo obscuro de Warhammer a Mythic Entertainment colocou a fasquia bem alta, Warhammer Online: Age of Reckoning (WAR) é um MMORPG que procura o seu lugar ao sol num universo dominado por World of Warcraft (WOW) e pelo recente Age of Conan: Hyborian Adventures. A sua tarefa é herculeana pois a legião de seguidores do jogo da Blizzard Entertainment é impressionante. Milhões de heróis virtuais lutam neste momento nos campos de batalha de WOW. WAR tenta seguir o seu próprio caminho, pegando em elementos dos seus rivais mas ao mesmo tempo tenta criar um cunho próprio.

Age of Reckoning possui uma estória épica mas ao mesmo tempo banal. A eterna luta entre as forças do bem contra as do mal faz mais uma vez a sua aparição. Como sempre, no início do jogo temos que optar por um dos lados da barricada, juntamo-nos às Forças da Ordem ou aliamo-nos às Forças da destruição. Cada uma das Forças possui três raças que por sua vez possuem várias carreiras a seguir. Temos a possibilidade de criar até um máximo de dez lutadores em cada uma das Forças.

Age of Reckoning conta a estória da luta entre as Forças da Ordem contra as Forças da Destruição. Os selvagens Greenskins estão havidos de sangue, lançam um ataque na tentativa de aniquilar os Dwarfs e conquistar as suas terras. Uma praga assola o Império que transforma lentamente os seus habitantes em mutantes com uma terrível sede por sangue e destruição. Os Dark Elves presenciam o alastrar desta praga e preparam um ataque contra os seus eternos inimigos, os High Elves.

Os Homens do Império, High Elfs e os Dwarfs juntam-se formando as Forças da Ordem numa batalha contra os Greenskins, Dark Elves e os Chaos que formam as Forças da Destruição. Como foi referido, cada raça possui várias carreiras a seguir. Os Chaos por exemplo podem seguir quatro carreiras, Chosen, Magus, Zealot e Marauder.

A escolha do nosso lutador é importante bem como a carreira a seguir, uma vez feita a respectiva escolha não podemos voltar atrás. Em Age of Reckoning todos os lutadores que criamos apenas poderão fazer parte de um servidor, podemos criar vários nesse mesmo servidor mas terão que fazer parte da mesma facção, Ordem ou Destruição. Se por ventura queremos entrar para outro servidor temos que criar uma nova personagem.

O nosso lutador tem várias características físicas que podem ser alteradas por nós, podemos escolher o tipo de cabelo, a cor dos olhos, expressões faciais e até tatuagens. Inicialmente os lutadores que vagueiam pelos servidores tem muitas semelhanças físicas, mas à medida que vamos progredindo a aparência do nosso lutador vai-se alterando, dando-lhe um aspecto ainda mais personalizado. Um dado curioso é a possibilidade de se poder alterar a cor de certos elementos da nossa vestimenta. Em níveis mais avançados a nossa personagem já ostenta um look bem mais intimidativo e completamente personalizada à nossa imagem.

Assim que entramos num dos servidores disponíveis e vislumbramos pela primeira vez o mundo caótico de WAR ficamos com uma sensação estranha. ?? primeira vista o jogo desaponta um pouco em termos visuais, mas com o decorrer do mesmo essa sensação vai-se desvanecendo. Graficamente está uns furos abaixo de Age of Connan mas superior a WOW. Não é por acaso que a qualidade visual de WAR é algo mediana, a Mythic Entertainment concebeu o jogo para chegar ao maior número de jogadores possível. Não é necessário nenhum super computador para correr Age of Reckoning, mas também não significa que a qualidade visual seja má, o jogo no seu todo é bem interessante.

Não podíamos deixar de referir o excelente vídeo de introdução que o jogo tem. A vontade de entrar em acção é desde logo activada no nosso subconsciente. WAR é um daqueles jogos exigentes, não fosse ele um MMORPG. A temática do jogo é como seria de esperar a procura sistemática de Quests, sejam elas pessoais ou públicas. Sempre que vislumbramos um ???livro??? a flutuar por cima da cabeça de certos indivíduos ficamos a saber da existência de uma Quest a ser completada.

Estas mesmas Quests são vitais para a nossa progressão, só assim conseguimos ganhar experiência e subir de nível. ?? claro que também os combates que vamos travando pelo caminho nos ajudam a ganhar a tão importante experiência. Para além da experiência ganha, muitas das vezes também somos recompensados com armaduras, armas e outros objectos. As Quests pessoais são um pouco monótonas e com alguma falta de imaginação, a sua descrição também é um pouco confusa e a visualização do objectivo no ambiente do jogo é por vezes complicada. Apesar da indicação no mapa do local para onde temos que nos dirigir, a visualização do nosso alvo no jogo é por vezes uma tarefa bem difícil.

Mais complicadas são as Quests públicas, temos à nossa espera mais de 400, sendo estas completadas por fases. Com o avançar do jogo elas tornam-se muito complicadas, muitas apenas serão completadas com a ajuda de outros lutadores de tão difíceis que são. A exploração do meio e o completar de Quests é, como seria de esperar, vital para a nossa progressão e consequente subida de nível, toda a nossa actividade em Age of Reckoning contribui para o balanço entre as Forças da Ordem contra as Forças da Destruição (RvR).

Conforme vamos evoluindo e subindo de nível novas habilidades serão desbloqueadas, gostaríamos de referir duas delas, que são de extreme importância. Temos a Crafting e a Gathering que vão permitir com que criemos os nossos próprios items. Uma depende directamente da outra pois o caminho que seguimos na habilidade Gathering vai determinar o tipo de items que podemos criar com a habilidade Crafting. Ambas possuem vários caminhos de evolução, podemos sempre alterar esse mesmo caminho, para isso basta consultar um crafting/gatherig trainer. Sempre que alteramos o curso da evolução de uma habilidade todo o que foi aprendido será perdido.

WAR foi concebido para um universo de jogadores deveras impressionante, o meio por onde nos movimentamos é quase infinito. Muitas das vezes é mesmo necessário dar uso à funcionalidade Travel que nos permite percorrer longas distâncias em pouco tempo. Em cada acampamento existem os Flight Masters que oferecem os seus serviços em troca de uma determinada quantia. Também teremos ao nosso dispor outro meio de transporte, todas as personagens tem a sua própria montada, estando estas apenas disponíveis em níveis superiores. As montadas podem ser adquiridas nos estábulos dentro das cidades capitais.

Ao longo das nossas caminhadas não podemos deixar de nos sentir algo isolados, é com alguma pena que nos deparamos com a maior parte dos servidores quase desprovidos de jogadores. Muitas são as vezes que nos deslocamos pelo cenário em direcção um determinado local mas somos sistematicamente abordados por inimigos que nos atrasam na progressão, até seria interessante se o número de jogadores fosse mais elevado, pois haveria inimigos para todos. ?? neste ponto que se nota a grande ambição da Mythic Entertainment, WAR foi concebido para milhões mas o facto é que neste momento o número de jogadores fica bastante aquém do esperado.

O jogo apela muito para o combate em equipa, podemos formar as nossas Guilds, cada Guild terá que possuir um mínimo de seis jogadores e apenas podem ser criadas nas cidades capitais. Os lutadores terão que viajar em conjunto até essas cidades para efectuar o registo e respectivo pagamento.

A Mythic Entertainment criou um jogo onde o jogador faz parte integrante da toda a estória de WAR. Exemplo desse facto é a existência do Tome of Knowledge (uma espécie de livro que regista toda a nossa actividade). Este livro é de facto um excelente meio de auxilio, sempre que temos alguma dúvida podemos consulta-lo, e o que mais impressiona é que o que queremos saber está mesmo lá. Este Tome of Knowledge é na realidade a estória de Age of Reckoning, a nossa própria estória.

Warhammer Online: Age of Reckoning é um MMORPG bem desafiador, com uma jogabilidade típica em jogos deste género, com um interface bem conseguido e com um visual interessante, o que não é muito comum em MMORPGs. WAR é sem dúvida uma excelente alternativa a WOW, apesar de algumas falhas e alguns bugs (chegamos a ter o nosso lutador completamente ???congelado??? sem qualquer animação). Tudo em WAR é gigantesco, sendo um jogo desenhado para milhões de jogadores. Essa imensidão torna WAR bastante desafiador mas ao mesmo tempo algo desolador, o número de jogadores presentes nos servidores é neste momento algo reduzido, chegamos a pensar que estamos num simples RPG sem componente online.


Nenhum comentário

comments powered by Disqus
Eurogamer
8/ 10
Média da crítica
Média dos usuários
Sua nota

Sobre o colaborador

avatar de GameVicio

Tópicos relacionados

©2016 GameVicio