GameVicio Entretenimento: GameVicio | FlashVicio | Hhide.ME | ClubVicio | Fórum | Flow | MovieVicio

Review de FIFA Soccer 06 para PC de GameVicio

por BT_Klevim, data  editar remover


Introdução:

Final de ano já virou sinônimo de lançamento de FIFA e toda a demais linha de esportes da EA nas prateleiras. Nos últimos anos, porém, muito além do lançamento, está em jogo a rivalidade entre a EA Sports e a Konami pela briga entre o mercado de futebol para PC e consoles, que um dia já foi totalmente dominado pela primeira e nos últimos anos vem pendendo mais para a rival com a série Pro Evolution Soccer (para os desavisados, também pode ser chamada de Winning Eleven).
Com a forte concorrência, a Electronic Arts se viu obrigada a focar a sua jogabilidade, que antes era mais voltada para a diversão/arcade, para o lado da simulação, com jogadas e dribles mais elaborados, táticas mais profundas e movimentação convincente. Uma mudança que acabou sendo muito criticada nos dois últimos anos, mas que chega amadurecida em FIFA 06 (que mudou até no nome, dando uma bela enxugada se comparado aos últimos, como o Fifa Football 2005), deixando de lado algumas investidas que não deram muito certo (como o controle Off the Ball) e explorando outros que foram bem aceitos (como o primeiro toque), sem deixar de lado outras inovações.
Game carregado, estádio lotado, jogadores posicionados e prontos para dar o pontapé inicial - acompanhe conosco esta minuciosa análise sobre todos os pontos do mais novo FIFA (... e até o ano que vem!):


Jogabilidade:

A jogabilidade chega renovada em FIFA 06, mas nada que descaracterize o estilo criado pela série. Os comandos básicos permanecem os mesmos, porém, mais do que nunca um joystick com direcional analógico é necessário para realizar as jogadas mais precisas e para colocar a bola no ângulo certo ao chutar para o gol. Se nos últimos anos o uso de um joystick era realmente recomendável, agora ficou obrigatório para quem deseja realmente se divertir com o game. ?? até possível jogar e ganhar as partidas no teclado, mas um bom joystick oferecerá uma experiência superior, e contra adversários reais pode ser crucial para ganhar uma partida.
A principal novidade que se nota é que, além de um botão especial para os dribles, existe um novo botão para realizar fintas nos adversários de forma que o seu jogador fique com a bola mais presa em seu domínio, ao contrário do drible tradicional que geralmente facilita a roubada de bola. Além disso, os dribles de corpo podem ser realizados somente com o botão de correr somado aos direcionais de forma bem mais eficaz e sensível, satisfazendo uma das reclamações do ano anterior. Todas essas jogadas especiais ganharam mais realismo e sofrem alteração conforme a habilidade específica de cada jogador em questão, muito bem representada pelos seus atributos na vida real. Com isso, você terá muito mais sucesso ao realizar dribles com o Ronaldinho Gaúcho do que com o Roque Júnior, por exemplo.
Os comandos de passe e lançamento à frente para o companheiro estão melhores trabalhados, permitindo segurar mais ou menos o botão para medir a força com que se deseja realizar a ação, o que dá mais liberdade ao jogador para criar as jogadas. Em especial, o botão de lançamento para o jogador do seu time correr a frente tem um papel fundamental, possibilitando que ele receba a bola livre na cara do gol, tendo que tomar cuidado somente com a linha de impedimento. O cruzamento na área também ganhou implementações e mais aleatoriedade em sua concretização, para evitar a moleza de se marcar gols com muita facilidade como acontecia no FIFA do ano passado. Assim, a bola não vai mais sempre certinha na cabeça do seu jogador ou para ele realizar uma bicicleta que resultava na maioria das vezes em gol.
Outra novidade importante no comando do jogo são os chamados Controles Avançados, que permite realizar uma série de ações especiais através de uma combinação das teclas habituais (estão todos descritos no manual), permitindo realizar tabelas, cruzamentos diferentes e até fingir que vai chutar pro gol e realizar um drible. Também foi inserido um controle tático que altera em quatro pontos tanto a estratégia de ataque como a de defesa, permitindo decidir a qualquer momento da partida se você quer ver o seu time realizando contra-ataques ou criando jogadas pela lateral, ou se deseja que os zagueiros marquem sob pressão ou façam a linha de impedimento. Tudo isso, se usado adequadamente, pode ser um fator crucial para se mudar a maneira do seu time jogar no meio de uma partida, algo relativamente inédito na série FIFA.
Entre os modos de jogo, embora eles sejam divididos basicamente da mesma maneira que no último título - amistoso, campeonato, dirigente (carreira), treino e multiplayer -, há novidades interessantes. A principal delas está no modo dirigente, que está mais completo e interessante: é possível jogar por 15 temporadas consecutivas, a cada ano você deve escolher um patrocinador da sua equipe entre diversas opções que variam entre o valor pago por cada jogo e as metas a serem cumpridas, e há mais opções para gerenciar o seu time com três níveis que devem ser controlados - são eles: entrosamento do time, prestígio no cargo e apoio da torcida. Esses níveis podem variar não só pelo resultado das partidas, como também por algumas declarações e atitudes que você pode tomar em ações aleatórias que surgem ao longo da temporada, exigindo do jogador um mínimo de bom-senso para se sair bem. Com o dinheiro acumulado vindo do patrocinador, ingressos nas partidas "em casa" ou venda de jogadores, você pode atualizar a comissão técnica para melhorar vários aspectos - como defesa, meio de campo, ataque, preparo físico e olheiro - ou mesmo contratar novos craques no período de transferência.
Um inédito medidor de desempenho foi inserido no placar, indicando como está a moral de cada time durante o jogo, o que varia de acordo com os acontecimentos na partida. Cada jogador possui também uma barra de status, mostrada sempre quando ele está sendo controlado, que representa a sua forma física com quatro cores que variam para identificar o seu estado.
Um dos pontos fortes da série, que é possuir o mais completo e atualizado número de times entre os games de futebol do mercado, continua dando um show, representada pelas 21 ligas ao redor do globo (incluindo quase todos os países europeus, incluindo a primeira e segunda divisão), contando com centenas de times e mais de 10 mil jogadores no total. Realmente, a escalação dos times está bem atualizada, seguindo praticamente todas as mudanças do futebol mundial até o início de setembro de 2005, e cada jogador também está muito bem representado pelos seus atributos físicos e técnicos (claro que entre 10 mil não dá pra dizer que estão todos 100%, mas a grande maioria dos principais clubes correspondem muito bem ao seu jogador real). Na liga brasileira, estão dispostos os mesmos 16 clubes da edição passada - Atlético Mineiro, Atlético Paranaense, Botafogo, Corinthians, Cruzeiro, Bahia, Flamengo, Fluminense, Grêmio, Internacional, Palmeiras, Santos, São Caetano, São Paulo, Vasco da Gama e Vitória -, mantendo assim alguns dos considerados "grandes" que caíram para a segunda divisão do nacional, como Bahia, Grêmio e Vitória.
A inteligência artificial era um dos fatores que mais precisava de reparos nos últimos anos, e ganhou algumas melhorias importantes, que aumentaram o nível de realismo das partidas contra o computador. A principal delas é notar que o computador também erra alguns passes e lançamentos, como acontece vez ou outra com qualquer jogador real. Mesmo nos níveis mais alto, é possível ver o computador realizar um passe onde não tem um jogador posicionado ou ao lançar a bola para um jogador na lateral acabar errando na força e ela ir direto para fora. Continuam presentes os quatro níveis de dificuldade, para ajustar o desafio certo pela sua desenvoltura com a bola no pé dos gramados virtuais, o que garante um desafio que pode ser aumentado gradativamente com a sua evolução. A ação do juiz e bandeirinhas é afetada também pela nova regra do impedimento estabelecida pela FIFA, o que pode fazer o seu jogador correr longos metros a toa atrás da bola para descobrir que estava impedido somente ao tocá-la. Porém, a marcação do impedimento está muito precisa e o único erro que encontramos - que deve ser considerado até relativamente grave - foi a marcação quando o seu jogador parte do campo de defesa, o que não é caracterizado pelo impedimento nas regras da entidade máxima do mundo da bola.
O sistema de física apresentado no jogo ganhou tremendas melhorias, se mostrando muito mais real. A bola pode se chocar em qualquer jogador, ou mesmo partes do cenário, realizando uma mudança realista e convincente em sua trajetória. Dois fatos bastante curiosos neste quesito foi ver a bola bater na bandeirinha de escanteio e voltar para o campo, e bater no ferro que segura a rede atrás do gol e também voltar para o gramado, já com o jogo paralisado. A única característica que ficou um pouco exagerada foi o jogo de corpo entre os jogadores, já que em alguns eles se mostram até mais presentes do que na vida real, fazendo o zagueiro praticamente segurar o seu atacante com todas as forças e acabar tomando a bola, sem que o juiz marque a devida falta.
Alguns pontos negativos tiram o brilho um pouco maior que a jogabilidade poderia ter alcançado. A movimentação dos goleiros é um deles, que continua praticamente com as mesmas falhas da edição anterior, fazendo com que o seu arqueiro saia mal em diversos lances, demore a reagir após uma espalmada, ou simplesmente não pule no pé do atacando que passa ao seu lado com a bola. O radar estranhamente desaparece sempre quando há cobranças de bola parada ou lateral, onde poderia ter uma grande utilidade.


Áudio:

Comandada pela dupla de profissionais conhecidíssima dos fãs da série - Milton Leite na narração e Rogério Vaughan nos comentários -, a loção de FIFA 06 permanece muito igual com os últimos anos. O maior problema aqui é o alto número de repetição de frases já usadas nos últimos jogos, o que pode causar um certo enjôo para quem já estava cansado de ouvir sempre a mesma coisa. Da mesma forma que a grande maioria dos brasileiros já está de saco cheio de ouvir o Galvão Bueno narrar as partidas da seleção, o excesso de Milton Leite que está à frente do jogo há quase 10 anos, quando a série começou a ser localizada para o Brasil, parece estar sobre-saturando um pouco o áudio. Além disso, há uma série de frases completamente sem sentido e erradas que são proferidas no meio das partidas, deixando o jogador se perguntando como isso pode acontecer num título de tanta qualidade.
Porém, há dois pontos muito bacanas a se destacar: o primeiro são os gritos da torcida muito bem representados nos principais clubes de cada país - inclusive no Brasil, onde se pode ouvir a torcida cantando "Neeeense" para o Fluminense, "Timão" para o Corinthians, entre outros -, e o outro foi o acréscimo de muitos nomes de jogadores que são citados pelo narrador, incluindo alguns comentários específicos sobre alguns craques.
A trilha sonora chega estrelada por "Lyla" do Oasis e "Fells Just Like it Should" do Jamiroquai, que se sobressaem ante as 39 músicas do total, com representantes de diversos países, inclusive três faixas de origem tupiniquim dos músicos Carlinhos Brown & DJ Dero e Marcelinho da Lua, além do grupo boTECOeletro. Com o uso do sistema EA TRAX patenteado pela desenvolvedora, os jogadores tem uma boa variedade de músicas, que agradam pela diversidade e qualidade no geral.

MultiPlayer:

O multiplayer permanece praticamente inalterado com relação ao FIFA 2005. ?? possível jogar contra um adversário no mesmo computador ou cada um no seu, neste último caso sendo via rede ou pela Internet (IP Direto ou pelo serviço online da EA). O problema é que continua não sendo tão fácil de realizar a conexão entre dois computadores pela Internet, necessitando muitas vezes realizar três ou quatro tentativas para se conseguir concluir uma partida até o fim. O serviço online para encontrar jogadores nas salas da EA Sports não trouxeram melhorias, o que torna o sistema um pouco chato de se usar, por utilizar uma interface fora do jogo construído inteiramente com a tecnologia Flash.
O lado positivo é que todas as melhorias e mudanças na jogabilidade garantem disputas mais divertidas no multiplayer. As jogadas estão menos previsíveis e as partidas ganham mais emoção, dando um novo gás para quem tinha cansado do game do ano passado.


Gráficos:

FIFA 06 traz gráficos com algum embelezamento cá e acolá, mas como é possível conferir nas screenshots desta review continua bastante fiel ao estilo criado ao longo dos últimos anos. A equipe da EA Sports parece ter trabalhado um pouco mais na caracterização de um número maior de jogadores, que são facilmente identificados no campo e chegam até a impressionar quando vistos de perto nas cenas de animação, devido ao seu grande realismo com o modelo real. Porém, o que parece ter ganhado mais atenção mesmo foi a movimentação dos jogadores, que está mais leve e bem caracterizada para dar a impressão de movimento.
Os replays e cenas de comemoração de gols também ganharam maior diversificação, ajudando a dar um toque adicional nas partidas. Devido à reclamação pela falta do juiz e bandeirinhas no FIFA 2005, a EA resolveu retorná-los ao campo, o que também pode ser desligado pelas opções de jogo. Mas a presença deles não foi lá muito bem implementada, estando lá quase só pra dizer que tem, já que os bandeirinhas não fazem qualquer reação quando marcam um impedimento e o posicionamento do juiz está muito mal concretizado, com bugs gritantes, como quando você vai cobrar uma lateral e o arbitro está posicionado bem à sua frente, colado a linha.
Também não dá pra entender algumas mudanças para pior, como o placar que simplesmente não informa mais os nomes do time de cada lado, algo que sempre existiu na série FIFA. A torcida também está com a maior impressão de que é feita de papelão do que nunca, tirando um pouco do realismo e da beleza visual.
Um destaque positivo que necessita ser ressaltado é a leveza do game, que parece ter ficado melhor programado do que a edição anterior, rodando lisinho com alta resolução e qualidade em um sistema com uma boa placa de vídeo e 1 GB de RAM. O tempo de carregamento das partidas também é surpreendentemente pequeno, levando poucos segundos na tela de Loading, mostrando um ótimo trabalho da EA Sports.


Conclusão:

Depois de passar os últimos dois anos perdendo bastante terreno para a série rival da Konami, a EA consegue alcançar uma jogabilidade muito boa para os fãs da simulação, que não tenta simplesmente copiar o Winning Eleven, mas sim inovar e inventar suas próprias características. FIFA 06 é sem dúvida o melhor game da série para o lado do realismo na jogabilidade, graças a uma série de avanços. Seu enorme banco de dados altamente atualizado com centenas de times e milhares de jogadores de 21 das principais ligas ao redor do mundo, deixa qualquer fã do mundo da bola bastante empolgado, seja para encarar as partidas amistosas ou para encarar o longo e animador desafio do Modo Dirigente. A EA Sports deu maior liberdade para se criar jogadas empolgantes, e com um bom joystick e prática é possível criar jogadas tão bem feitas como no game da Konami.
Para completar, o game traz uma enorme quantidade de desafios, feitos para se adquirir pontos usados para desbloquear uma grande quantidade de extras disponível na "Loja do Torcedor", que vão desde camisas, bolas estádios, a kits com novas comemorações de gols e até efeitos sonoros engraçados. Tudo isso eleva o interesse e coloca para aquele jogador disposto a debulhar tudo o que se pode encontrar o mais completo game de futebol da atualidade. Isso sem falar na possibilidade de criar jogadores e editar times, que já existia no ano passado e foi mantido.
FIFA 06 também se mostra mais divertido para se jogar contra um amigo ou mesmo um desconhecido pela Internet, mas é uma pena que a EA insista em utilizar a sua interface irritante e pouco amigável para controlar as salas online. Também fica a lamentação de que a desenvolvedora continue a alterar algumas características que eram boas, tornando-as pior na nova edição - como é o caso do placar neste ano, entre outros pormenores.
Ainda assim, tirando um pouco do excesso de preciosismo que todo brasileiro tem quando fala de futebol, temos um forte concorrente que, se não vencer, deve ficar à altura do seu forte rival. ?? hora de acabar com uma espécie de preconceito que surgiu recentemente, que ligava a tradicional série da EA como um game ruim, e perceber que FIFA 06 tem os seus méritos.

Prós x Contras

Prós
- Grandes melhorias e inovações na jogabilidade;
- Modo Dirigente/Carreira bastante empolgante;
- Escalações dos times super atualizada e boa caracterização dos jogadores;
- Gráficos bonitos e muito leves;
- Diversificada trilha sonora;
- Boa quantidade e qualidade no conteúdo de extras.

Contras
- Má movimentação dos goleiros e juiz;
- Faltam melhorias para o multiplayer online;
- Muitas falhas e comentários equivocados na narração;
- Insistência da EA em piorar pontos positivos e que não precisavam ser alterados.

Notas:


- Gráficos: 18
- Som: 18
- Jogabilidade: 18
- Enredo: 20
- IA: 16

TOTAL - 90%


Nenhum comentário

||
GameVicio
9/ 10
Média da crítica
Média dos usuários
Sua nota

Sobre o colaborador

avatar de BT_Klevim

Reviews da crítica

©2016 GameVicio