GameVicio Entretenimento: GameVicio | FlashVicio | Hhide.ME | ClubVicio | Fórum | Flow | MovieVicio

Review de Command & Conquer 3: Kane's Wrath para PC de Outer Space

por Guimephiles, fonte Outer Space, data  editar remover


Não deve ser fácil criar um pacote de expansão para um jogo tão ???redondo??? como Command & Conquer 3: Tiberium Wars. Expansões de jogos de estratégia sempre incluem uma quantidade considerável de conteúdo inédito, o tipo de coisa que sempre acaba afetando um pouco o equilíbrio do jogo.

Parece que em Kane???s Wrath não existiu muito cuidado com a questão do equilíbrio, mas a quantidade de novidades consegue ofuscar um pouco essa ???falha???. E apesar de não ser tão polido e caprichado como o jogo original, o pacote de expansão não deixa de ser uma boa adição.

Novidades no front


Kane???s Wrath é uma expansão bem encorpada. Além de uma nova campanha de 13 missões, estão incluídos um novo modo de jogo, 6 novas sub-facções, muitas novas unidades e diversas variações daquelas já existentes. Além disso, novos mapas para disputas no multiplayer ou contra o computador também estão incluídos, fazendo com que, pelo menos em quantidade de novidades, o pacote valha a pena. Mas o fato é que enquanto algumas adições realmente adicionam algo, outras, na verdade, subtraem um pouco de valor. Vale a pena entrar nos detalhes de todas.

C&C 3 contava com três diferentes facções: a hipócrita GDI, a seita religiosa do Nod, e os alienígenas Scrim. Ao invés de implementar novas facções, o que precisaria de justificativas palpáveis no enredo, a opção dos produtores foi criar as chamadas sub-facções, presentes também em C&C Generals e C&C Red Alert 2. Cada facção então conta com duas novas subdivisões, que são variações suaves da original.

Apesar de bem interessantes e definidas, as novas subfacções não são exatamente equilibradas. Os Steel Talons, por exemplo, são uma subfacção da GDI com foco em veículos mechs, algo que remete a C&C 2: Tiberian Sun. Mas contam com uma infantaria fraca e pouco variada, e não possuem nenhuma unidade que utilize tecnologia sônica, fazendo com que eles acabem bem mais fracos que as outras facções do jogo. Já o ZOCOM, a outra sub-facção da GDI, é relativamente mais forte que o usual, pois conta com tecnologia sônica aprimorada em várias unidades.

As sub-facções do Nod (Marked of Kane e Black Hand) e dos Scrim (Reaper-17 e Traveler 59) também não são exatamente equilibradas, mas ainda assim é bem interessante perceber que cada uma delas possui características únicas que realmente fazem diferença no jogo. ?? possível que a equipe de produção realmente não tenha se preocupado em criar times que podem se dar bem no multiplayer, mas apenas algo que seja interessante para jogo em si. E os jogadores sempre poderão ter a opção de simplesmente não jogar com as facções mais fracas, ou jogar com elas quando quiserem massacrar um oponente mais fraco.

O mesmo não acontece com as novas unidades épicas, que realmente desequilibram. Agora, todas as facções podem construir uma estrutura especifica, que constrói e repara veículos, mas também podem desenvolver uma super unidade. Assim como os ???commandos???, apenas uma superunidade por jogador é permitida, mas geralmente não é preciso mais que isso. O Nod conta com o Redeemer, um gigantesco mech de quatro pernas que possui uma habilidade que, quando ativada, faz com que as unidades inimigas ataquem umas as outras. A unidade dos Scrim, o Eradicator Hexapod, não fica atrás em questão de poder: ela é capaz de converter as unidades e estruturas inimigas destruídas em créditos para o jogador, fazendo com que o inimigo tenha mais um motivo para evitar a perda de unidades.
Mas a unidade épica mais desequilibrada, sem sombra de dúvidas, e o MARV da GDI, que além de ser um tanque gigantesco e extremamente resistente, recolhe todo os recursos que passam por debaixo dele, que são instantaneamente convertidos em créditos para o jogador. Lembrando: a coleta normal de recursos exige que o jogador crie refinarias para que veículos especializados passem um tempo coletando, depois retornem até a construção e daí transformem a coleta em créditos. Com o MARV, basta passar por cima do campo que os créditos apareçam na conta do jogador. ??timo para atacar bases avançadas do inimigo, roubar todo seus recursos, deixando o oponente pobre e o jogador bem rico. Bom até demais.

Kane bravinho


Além do multiplayer, uma das principais atrações de Command & Conquer é o modo campanha, que narra eventos de três momentos diferentes da saga de Kane, sob a perspectiva da Irmandade do Nod. Apesar de ser bem interessante, essa campanha é um tanto quanto decepcionante, principalmente se for tomada como base as ótimas campanhas do C&C 3 original. A história partida em três pedaços não ficou muito bem conectada, e a não ser que o jogador seja um expert na história das guerras do Tiberium, fica um pouco difícil de entender os eventos. Além disso, as missões não estão tão criativas e inspiradas como as do jogo original, e existe uma certa repetição incômoda na jogabilidade.

Um novo modo implementado em Kane???s Wrath é o chamado Global Conquest, onde os jogadores disputam em estratégia por turnos em um mapa do mundo a La War e resolvem as batalhas existentes em tempo real (ou automaticamente), de forma similar aos jogos da série Total War. A idéia é excelente, mas apesar de um esforço visível na criação, o modo não está muito bem ???amadurecido??? e são diversas as falhas no sistema de gerenciamento em turnos, além de um mapa de jogo nada atraente.



O Veredicto
: ?? louvável que a expansão apareça com um novo modo, mas apesar da boa idéia e intenção, ainda falta muito para que o Global Conquest seja algo divertido de ser jogado. E a implementação das chamadas unidades épicas é algo que atrapalhou bastante o equilíbrio de jogos com grande duração. Mas no final das contas, o volume de novidades positivas, além do fato de que o jogo continua bem divertido, fazem com que Kane???s Wrath seja uma interessante adição para C&C 3, mesmo com suas pequenas falhas.


Prós:

- Muitas unidades, facções e mapas novos.


Contras:

- Modo Global Conquest é decepcionante;
- Campanha um pouco fraca;
- Unidades épicas um pouco desequilibradas.


Nenhum comentário

comments powered by Disqus
Outer Space
7/ 10
Média da crítica
Média dos usuários
Sua nota

Sobre o colaborador

avatar de Guimephiles
©2016 GameVicio