GameVicio Entretenimento: GameVicio | FlashVicio | Hhide.ME | ClubVicio | Fórum | Flow | MovieVicio

Review de Wario Land: Shake It! para Wii de Outer Space

por Guimephiles, fonte Outer Space, data  editar remover


Wario está de volta ao Wii em um divertido jogo que resgata algo da jogabilidade antiga da série Mario Bros com certas adaptações, principalmente no uso do sensor de movimentos do Wiimote. Recheada de situações divertidas e absurdas envolvendo a busca do vilão por novos tesouros, Shake It veio para desmistificar a má-fama de Wario como protagonista de péssimos jogos de plataforma (como os últimos Wario Land de GBA e NDS), embora o personagem já tenha sido bem sucedido com os bizarros Wario Ware.

A Dimensão do Saculejo

Wario Land: Shake It! já começa com um divertido desenho animado, feito nos moldes de animes antigos, que conta a história da Shake Dimension, recentemente dominada por um terrível pirada chamado King Shake, que encontrou um dos maiores tesouros do local: um saco de moedas que nunca se esvazia, bastando sacudi-lo para que o dinheiro chova sobre seus capangas. Não satisfeito, o malfeitor ainda seqüestra a rainha e pretende forçá-la a se casar com ele. Mas não se Wario puder evitar (que ele fique com o saco de moedas, obviamente)! Contatado por um dos moradores da Shake Dimension, Merfle, a princípio o protagonista não tem muito interesse em ajudar, mas assim que fica sabendo sobre o saco de moedas infinitas, rapidamente muda de idéia e embarca na aventura.

A primeira fase se passa em um navio pirata e traz diversas instruções, funcionando como um tutorial para que o jogador aprenda os bizarros movimentos de Wario e se acostume com a jogabilidade, que traz uma interessante novidade: todos os cenários têm um caminho de ida e de volta, que não são necessariamente os mesmos. Em diversos pontos existem locais claramente inacessíveis, independente de quaisquer puzzles presentes no cenário, mas pelos quais é fácil passar quando a rota alternativa de fuga torna-se disponível, após resgatar um habitante da Shake Dimension e, com isso, acionar o alarme de intrusos. A princípio parece meio chato passar duas vezes por cada fase, mas a coisa é tão inusitada e os caminhos tão bizarros (e normalmente são feitos correndo devido ao limite de tempo), que isso simplesmente torna toda a ação ainda mais divertida e empolgante.

O Wiimote é segurado deitado, como se fosse um controle de NES, com o direcional controlando a movimentação de Wario, os botões acionando pulos e uma habilidade de dash que serve para quebrar paredes e derrubar adversários. O sensor de movimento serve para aplicar um soco no chão que derruba ou joga longe diversos itens do cenário (fazendo um movimento de cima para baixo com as mãos), mirar a direção contra a qual arremessar os inimigos sobre os quais ele tenha saltado (virando o controle) ou chacoalhá-los para roubar-lhes moedas e comida (principalmente alho) e deixá-los tontos (literalmente chacoalhando o Wiimote ??? o que cansa bastante os braços após algum tempo). Além disso, existem alguns elementos do cenário com os quais é necessário interagir utilizando diferentes movimentos do controle, mas estes infelizmente nem sempre se integram perfeitamente ao restante da jogabilidade, criando a sensação de que houve uma corrida atrás de usos para o sensor de movimento bastante desnecessária.

O jogo é dividido em cinco mundos, cada um com certa quantidade de fases. Em cada fase, além do objetivo principal de chegar ao seu final, resgatar o alvo e voltar ao começo, ainda existem três tesouros escondidos para serem coletados e algumas metas bizarras, como pular da cabeça de um tipo específico de inimigo, executar um movimento estranho, conseguir certa quantidade de moedas, dentre outras. Caso o jogador consiga cumprir todos os objetivos e colher todos os tesouros, ele destrava alguns extras, como a música do local. Com as moedas, Wario compra novos mapas para acessar novos locais do mundo, equipamentos que irão ajudá-lo e melhorar seus atributos (como aumentar sua energia) e ainda mais extras, como vídeos e imagens do jogo. Como as fases podem ser revisitadas à vontade, os caçadores de recordes farão a festa tentando conseguir tudo o que existe por lá espalhado.

Ao final de cada mundo, aguarda um chefe que deve ser derrotado com um misto de habilidade manual e estratégia, cada uma mais estranha que a anterior, e todas utilizando diferentes esquemas com o uso dos sensores de movimento. Os chefes são extremamente caricatos, e guardam as chaves para a localização do navio de Shake King, onde Wario buscará seu tão esperado tesouro (e pode acabar libertando a rainha sem querer).

Waahahahahaaaaariooooooooo

Os gráficos de Shake It são bidimensionais, com efeitos em pixel-shading de alta qualidade, traços caricatos e muito coloridos, parecidos com os de um desenho animado dos anos 80-90. Houve bastante atenção aos detalhes, principalmente dos cenários, que impressionam pela quantidade de pequenas ações que podem ser realizadas por Wario, como acionar alavancas e quebrar pedras usando as cabeças dos inimigos, correr como um louco derrubando tudo, socar o chão para eliminar ou derrubar obstáculos, enfim, existe bastante interação.

O design das fases leva em consideração tanto as habilidades necessárias a qualquer jogo de plataforma ??? como precisão nos controles ??? assim como uma boa percepção em busca de soluções para diversos puzzles espalhados pelos cenários que devem ser solucionados para se conseguir obter todos os tesouros e cumprir todos os objetivos secundários, o que pode ser um verdadeiro desafio, pois estes se integram à dinâmica do caminho de ida e volta, garantindo certos acessos apenas em um deles.

Finalizando a aventura, que é tão extensa quanto outras da série Wario Land ou Mario Bros., ainda restam alguns extras para destravar nas fases que não foram inteiramente completadas, e a busca por melhores recordes em alguma delas. Após isso, apenas as gargalhadas proporcionadas pelas loucuras do bigode invertido.



O Veredicto: Wario Land: Shake It! é um ótimo jogo de plataforma e contém muitos puzzles inventivos, uma boa caracterização do personagem principal e diversos elementos divertidos (entre inimigos, fases e vídeos) que compõem aquela sensação de ser um título da Nintendo. Ainda assim, não possui elementos realmente inovadores para ser considerado um dos grandes lançamentos da Nintendo, embora cumpra com folga todas as suas modestas ambições como jogo de plataforma.


Prós:

- Excelente arte, misturando bitmaps e pixel-shading;
- Design de fases criativo;
- Muito bom humor.


Contras:

- Jogo muito curto;
- Muito uso desnecessário do sensor de movimentos.


Nenhum comentário

comments powered by Disqus
Outer Space
7/ 10
Média da crítica
Média dos usuários
Sua nota

Sobre o colaborador

avatar de Guimephiles

Reviews da crítica

4.1 / 5
Fliperama
©2016 GameVicio