GameVicio Entretenimento: GameVicio | FlashVicio | Hhide.ME | ClubVicio | Fórum | Flow | MovieVicio

Review de Left 4 Dead para PC de Outer Space

por Guimephiles, fonte Outer Space, data  editar remover


Começou o apocalipse zumbi. Os infectados estão por toda parte, atacando tudo que não for morto-vivo. Perdidos em meio ao caos, quatro pessoas tentam conseguir um único objetivo: sobreviver. Pode até parecer o roteiro de um filme B, mas na verdade é o pano de fundo de um jogo AAA: o novo Left 4 Dead, da Valve, que chega para misturar o clima de uma invasão zumbi com um excelente multiplayer.

O Multiplayer dos Mortos

Em Left 4 Dead, o jogador entra na pele de um sobrevivente do apocalipse zumbi. O objetivo principal é atravessar o mapa sem morrer, matando o maior número de mortos-vivos pelo caminho. Pode até soar como "mais um jogo de zumbis", mas é aí que entra o toque de mágica dos modos multiplayer com o selo de qualidade da Valve.

Todas as campanhas de Left 4 Dead podem ser jogadas cooperativamente com até quatro jogadores online, sendo que cada um deles assume o papel de um sobrevivente. Também é possível jogar as campanhas sozinho, mas apesar de uma inteligência artificial brilhante, a falta de interação com outros jogadores reais faz com que este modo só seja útil mesmo como uma espécie de tutorial, para depois não fazer feio na net.

E ao jogar cooperativamente, sem dúvidas que o mais divertido é com quatro amigos, usando e abusando do canal de voz e de estratégias de sobrevivência. Naturalmente, nem sempre outros três amigos estão à disposição, mas para isso o sistema multiplayer consegue ser bem bolado ao ponto de os jogadores poderem se conectar a jogos em andamento, assumindo personagens no meio da ação. ?? simples: se o jogo começar com menos de quatro jogadores, ou se um dos jogadores se desconectar por qualquer motivo no meio das fases, o personagem correspondente passa a ser controlado pela inteligência artificial. Quando aparece um jogador de carne e osso, este reassume as rédeas da situação. Funciona tão bem como qualquer CS, TF ou DoD, em que os jogadores entram e saem dos servidores o tempo todo.

Um outro ponto bem interessante nas campanhas cooperativas de L4D é a chama "director AI", uma inteligência artificial da Valve que "modera" o desafio para os jogadores. Se eles estão se machucando muito, acontecem coisas para que o jogo fique mais fácil, como aparecer itens de cura pelo caminho. Mas se eles vão bem demais e superam os desafios com facilidade, a dificuldade é alterada, aumentando a quantidade de inimigos, por exemplo.

Competindo com os mortos

E além do modo cooperativo, Left 4 Dead conta também com um multiplayer competitivo, sendo que este tem grande potencial para expandir a experiência por muito tempo. Apenas oito jogadores simultâneos são possíveis, e enquanto até quatro desses tomam conta dos sobreviventes, os outros ficam do lado da horda zumbi.

Mas os jogadores não comandam zumbis comuns: eles jogam com os zumbis "chefões", que são aqueles que possuem alguma habilidade específica, como o Boomer, que cospe uma líquido que atraí a horda sobre o alvo da gosma, ou o Smoker, que estrangula os sobreviventes com um língua gigantesca, ou ainda o Tank, que é uma espécie de zumbi-hulk: gigante, forte e muito, muito resistente.

Essas "classes" de zumbi estão presentes em todos os modos de jogo. Enquanto o morto-vivo padrão de L4D lembra aqueles dos filmes de George Romero na aparência, na atitude eles são acelerados e frenéticos, como aqueles de Extermínio, filme de Danny Boyle. Já os "chefões" são mais parecidos com alguns dos inimigos dos primeiros jogos da série Resident Evil. Só que ao mesmo tempo em que a presença deles lá é interessante para a jogabilidade, ela é bem decepcionante para a questão do clima. Esses "monstros" ficam um pouco fora de contexto em meio aos mortos-vivos tradicionais, algo que incomoda principalmente os fãs "puristas" de filmes de zumbis.

Mas ainda sobre o modo competitivo, um dos aspectos mais interessantes é que ele usa também as mesmas fases das campanhas cooperativas. Com isso, o clima da campanha cooperativa continua nos jogos competitivos, somando ainda o fato de que jogadores humanos costumam ser bem mais perigosos que a inteligência artificial controlando os zumbis.

Apenas duas das quatro campanhas dos jogos podem entrar nesse modo competitivo, o que aponta um dos principais defeitos de Left 4 Dead. Como cada uma das campanhas tem uma duração de aproximadamente uma hora, ele acaba sendo bem limitado, tanto para os padrões de multiplayer quanto de singleplayer. Um pensamento positivo nesse aspecto é o fato de que, com a facilidade de implementar novidades e atualizações pelo Steam, a Valve tenha guardado um pouco de conteúdo para depois. Mesmo assim, a sensação ao se completar tudo de L4D é que novas fases cairiam bem, ainda que o fator replay daquelas existentes seja grande.

O Veredicto: Left 4 Dead é um jogo incrível porque consegue unir em um único modo o envolvimento de uma campanha para um jogador com a diversão cooperativa/competitiva de um bom multiplayer. Além disso, a jogabilidade e os gráficos com o padrão de qualidade do Source Engine só somam pontos para a experiência. Mas talvez o único grande defeito de L4D é um mal que parece afetar boa parte dos jogos recentes da Valve: com a facilidade de lançar atualizações freqüentes via Steam, são poucas fases e relativamente pouco conteúdo no pacote original.

Prós:
  1. Zumbis;
  2. Clima envolvente;
  3. Multiplayer de qualidade;
  4. Bom para jogar de quatro (no bom sentido).


Contras:
  1. Zumbis "chefões" quebram um pouco do clima;
  2. Poucas fases por enquanto.



Nenhum comentário

comments powered by Disqus
Outer Space
8/ 10
Média da crítica
Média dos usuários
Sua nota

Sobre o colaborador

avatar de Guimephiles

Reviews da crítica

4.5 / 5
Fliperama
9.5 / 10
GameHall
9 / 10
Eurogamer
©2016 GameVicio